Cultura & Redes Sociais,2013/10/21,14.30h, Casa das Artes

2013/10/21    Cultura & Redes Sociais
As redes sociais inserem-se no novo paradigma da comunicação e constituem hoje um poderoso e económico meio que museus e outras instituições culturais têm à sua disposição para ultrapassar uma das suas grande dificuldades: darem-se a conhecer e promoverem os seus serviços.
Google+, Linkedin, Twitter, Mysapace e muitas outras fazem parte de um universo no qual o Facebook adquiriu especial relevância, o que se comprova facilmente pelos 4.5 milhões de utilizadores em Portugal. Aliás, segundo estudos recentes, 97% dos utilizadores de redes sociais em Portugal utilizam também o Facebook.
Mas qual é efectivamente o potencial destas redes ? O que as diferencia ? Como devem ser utilizadas ? Qual é o seu efectivo impacto no processo de interacção e comunicação com os utilizadores e frequentadores dos espaços culturais ?

Para responder a esta e outras perguntas, A Direcção Regional de Cultura do Norte organiza no próximo dia 21 de Outubro,um debate que contará com a presença de alguns responsáveis da área da comunicação em museus que irão dar a conhecer as suas perspectivas, opiniões e experiências.
É uma reunião aberta, especialmente direcionada para profissionais do sector da Cultura e estudantes, em que um espaço de debate permitirá aos participantes esclarecer dúvidas e apresentar as suas opiniões. Para participar basta inscrever-se em http://goo.gl/4Ip3B0

PARTICIPANTES:

Barbara Marto, Fundação de Serralves

Mário Brito, Mosteiro de Tibães

Patricia Brás, Museu de Lamego

Patricia Remelgado, CITCEM

Vasco Marques, http://www.vascomarques.net

cultura&redes

Pagamento de Refeições e Visita ao Douro

Caros participantes,

Relembramos que os pagamento relacionados com refeições durante o Seminário (almoços de dia 17 e 18 e jantar de Encerramento) e Visita ao Alto Douro, deverão ser efetuados durante o dia de hoje, correndo o risco de as vossas inscrições não serem consideradas.

O NIB para onde deverão efetuar a transferência é o 0018 000333238593020 22, devendo em seguida enviar o comprovativo de transferência para o endereço de email: seminariopcee@culturanorte.pt, com o assunto: “Pagamento Seminário PCEE”.

 

V Congresso Ibero-Americano da Cultura

Sob o tema “Cultura Digital, Cultura em Rede”, o V Congresso Ibero-Americano da Cultura, acontece de 20 a 22 de novembro, em Saragoça, e apresenta como principal objetivo destacar as oportunidades que a revolução 2.0 trouxe ao setor cultural, nomeadamente ao facilitar as relações entre instituições e iniciativas entre países geograficamente distantes.

Desde 2008 o Congresso Ibero-americano da Cultura já passou pelas cidades do México, São Paulo, Medellín e Mar de Plata, tendo desenvolvendo uma diversidade de temas, entre eles, as relações entre a cultura, a política e a participação popular e a cultura e a transformação social.

Saragoça foi a cidade escolhida para receber a 5ª edição do evento internacional, com data marcada entre os dias 20 e 22 de novembro. O Congresso respeitará o tema da “Cultura Digital, Cultura em Rede”, apresentando como objetivo principal esclarecer de que forma a transição da cultura para o ambiente digital traz consigo inovação, criatividade e crescimento às economias e sociedades do espaço ibero-americano, bem como as oportunidades de formação de um espaço cultural comum.

O novo ambiente digital da cultura, a economia da cultura digital e as línguas e culturas ibero-americanas na rede constituem os três grandes eixos temáticos a serem abordados na diferentes atividades agendadas, entre elas, conferências, apresentações e workshops.

O Palácio dos Congressos e o Centro de Arte e Tecnologia Etopia constituem os principais palcos do evento mas serão desenvolvidas atividades alusivas ao tema central em diferentes espaços da cidade.

Como o objetivo de fomentar a cultura participativa e incentivar o envolvimento da sociedade civil, a edição deste ano acrescentou ao programa uma terceira zona de debate, a “A Zona Aberta”, para além da “Zona de Experiências” e da “Zona de Tendências”, onde serão abordados temas não incluídos no programa, mas que são de interesse para os participantes. Para além disso, organizou o concurso “Empreende com Cultura”, com vista a destacar os projetos digitais relacionados com o setor cultural que se destaquem pelo seu potencial, inovação e qualidade, cujos vencedores serão apresentados durante o Congresso.

Os interessados podem inscrever-se até ao dia 10 de novembro, no site  do evento.

 Mais informação

http://www.culturaiberoamerica.org/pt/

Para as empresas: apresentente produtos e serviços

Se é uma empresa e o seu público alvo é o sector Cultural, vai poder apresentar os seus produtos e serviços no Seminário Internacional Património Cultural Economia e Emprego.

Poderá afixar cartazes em formato A3 ( mínimo 140 gramas ) na sala de exposições da Casa das Artes durante a semana dos workshops e do seminário. Basta trazer um cartaz que nós afixamos. Se não puder estar presente, pode enviá-lo em formato PDF pronto a ser impreso para o email seminariopcee€culturanorte.pt. O custo da impressão é de 12 €. Para detlahes e forma de pagamento contacte-nos pelo email seminariopcee@culturanorte.pt. Só serão aceites cartazes de serviços e produtos directamente relacionados com a Cultura e o Património Cultural.

Neste momento está já confirmadas mais de 500 pessoas do sector que irão estar presentes na Casa das Artes

Festival IN – Festival de Inovação e Criatividade

Entre os dias 14 e 17 de Novembro, em Lisboa, decorrerá o Festival IN – Festival de Inovação e Criatividade, o qual constituirá um espaço de interação entre criadores, empresas, instituições e marcas do setor das industrias culturais e criativas.

O Festival de Inovação e de Criatividade (IN), a decorrer nos dias 14, 15, 16 e 17 de Novembro de 2013, na Feira Internacional de Lisboa (FIL), em Lisboa, tem como principal objetivo promover a concretização de ideias inovadoras e criativas em negócios efetivos.

A apresentação de atividades, protótipos, produtos e experiências  proporcionará um espaço de interação entre criadores, empresas, instituições e marcas do setor cultural, de forma a fomentar novos negócios e a rentabilizar o potencial e as competências a nível nacional.

Os participantes terão acesso a conferências de grandes personalidades e de empresas de referência, bem como a workshops, relacionados com as diferentes  áreas das industrias culturais e criativas.

Mais informação

http://www.festivalin.pt/

Informações uteis aos participantes / Useful information

Estamos neste momento a concluir o envio da confirmação das inscrições para os workshops e a inicar as confirmações do Seminário. Recordamos que este processo de inscrição envolve já mais de 500 pessoas e que muitas  se registararm para vários workshops. Recordamos também que as inscrições são gratuitas.
Estamos a providenciar soluções que nos permitam acolher mais pessoas para o seminário do dia 16 e 17 em virtude de o auditório da Casa das Artes, com capacidade para 200 pessoas, se encontrar esgotado há já varios dias.

Gostaríamos de recordar que:

1.

Nos dias 16 e 17 do Seminário pode particpar:
Nos almoços do dia 16 e 17 ( 12 € / cada almoço; pode inscrever-se só num ou nos dois ). Os almoços decorrerão na Casa Vilar d’Alen, contígua à Casa das Artes o que será muito cómodo porque evita o recurso a espaços nas imediações
No jantar de encerramento dia 17  ( 35 € por pessoa , pode levar acompanhantes pelo mesmo valor de 35€ cada)

ainda é possível inscrever-se através do email:

seminariopcee@culturanorte.pt

2.

No dia 18 haverá uma visita ao Alto Douro ( Vale do Varosa ) orientada pelo Director do Museu de Lamego, Luís Sebastian.

O custo da viagem é de   28€ por pessoas e pode levar acompanhante por igual valor de  28€. As condições de inscrição estão expressas no respectivo formulário que deve consultar

ainda é possível inscrever-se através do email: seminariopcee@culturanorte.pt

3

No site do seminário www.culturanorte.pt/seminario, estamos a publicar diversa informação sobre a temática do Seminário e os oradores. Para maior comodidade pode recebê-la através de email  que será enviado por infotibaes@culturanorte.pt registando-se na seguinte lista: SeminarioPCEE

4

Foi lançado um concurso de fotografia através do facebook do Mosteiro de Tibães   ( www.facebook.com/mosteirotibaes ) O tema é o Património a Norte. O regulamento, os prénios e o local de exposição das imagens vencedoras, estão disponíveis no evento do facebook ( https://www.facebook.com/events/516097041816629/ )

5

Vai ser possível às empresas um espaço para distribuição de documentos e folhetos bem como afixar cartazes em formato A3 / A2 com um mínimo de 140g. A empresas que não possam estar presentes mas queiram divulgar produtos e serviços podem enviar o ficheiro por email para impressão do cartaz. Condiçoes e informações podem ser solicitadas a semninariopcee@culturanorte.pt

6

Está aberta a possibilidade de os particpantes poderem dirigir pergurtas aos oradores. Respectivos formulários disponíveis aqui ;

No caso de dúvidas ou sugestões pf contacte-nos

Simpósio Internacional “Sociedade, Cultura e Economia nas Regiões Serranas da Hispânia Romana”

Durante os dias 26, 27 e 28 de Setembro, o Simpósio Internacional proporcionará um espaço de reflexão sobre o desenvolvimento do processo de romanização das regiões da Hispânia .

Como resultado de um trabalho de colaboração, a Câmara Municipal da Guarda, a Câmara Municipal de Celorico da Beira, a Agência para a Promoção da Guarda, o Centro de Estudos Ibéricos, a ARA- Associação de Desenvolvimento, Estudo e Defesa do Património da Beira Interior, a Universidade de Coimbra e o Museu Nacional de Arte Romana de Mérida, estão a promover o Simpósio Internacional “Sociedade, Cultura e Economia nas Regiões Serranas da Hispânia Romana”.

O evento tem inicio amanhã, dia 26 de Setembro, e prosseguirá ao longos dos dias 27 e 28, sendo que o Auditório do Paço da Cultura, na Guarda, será palco do primeiro e do último dia do evento, e o Auditório da Pousada do Inatel de Linhares da Beira, em Celorico da Beira, receberá a programação do dia intermédio.

Investigadores de três países europeus reúnem-se nos próximos dias para analisar o quotidiano das regiões serranas e a relação destas com o restante território, e proporcionar um espaço de reflexão acerca da harmonia com que a romanidade e a tradição se uniram, numa zona onde antes permanecia a instabilidade e o conflito.

 

Mais informação

http://www.mun-guarda.pt/index.asp?idedicao=51&idseccao=625&id=2552&action=noticia

http://ml.ci.uc.pt/mhonarchive/archport/pdfMagr46YVLb.pdf

Economia e Emprego na Cultura: Estudo coordenado por Enrique Hérnandez Pavón

São vários os estudos que têm vindo a comprovar a capacidade do setor cultural na produção de riqueza e emprego e, consequentemente, no desenvolvimento económico dos territórios.

“Economia e Emprego na Cultura”, é um estudo coordenado por Enrique Hérnandez Pavón, que pretende realçar a cultura como recurso estratégico e valioso na sustentabilidade dos países, e alertar para o facto do seu potencial contributo no crescimento das nações ser muitas vezes desprezado.

O estudo procura demonstrar que a cultura não é apenas um recurso intangível, se pensarmos que se traduz no cinema, nos livros, no turismo ou noutras atividades baseadas na criação artística ou no património. Neste sentido, a cultura pode ser vista através de uma perspectiva económica, quer a um nível micro, da oferta, dos bens e serviços artísticos, quer a um nível macro, no que diz respeito ao seu efetivo contributo nas economias nacionais. A denominada Economia da Cultura recorre às abordagens e conhecimentos  da teoria económica, aplicando-os à atividade cultural, e toma como objeto de estudo os fluxos económicos gerados pelos bens e serviços do setor e as possibilidades de intervenção pública que existem nesta área.

A referida obra compila e apresenta novas perspectivas e abordagens disciplinares, nomeadamente da sociologia, da psicologia, da economia ou da área jurídica, sobre a atividade dos subsectores, profissões e empresas culturais. Constitui, assim, um produto da reflexão de diferentes especialistas, que procuram ao longo do estudo sistematizar a realidade do setor da cultura, bem como apresentar algumas soluções estratégicas, tendo em vista o desenvolvimento profissional e socioeconómico.

Mais informação em: http://www.juntadeandalucia.es/servicios/publicaciones/detalle/73184.html

Ementas: Jantar de Encerramento e Visita ao Douro

Jantar de Encerramento no dia 18 de Outubro :Restaurante Casa Inês em Campanhã

Entradas:

Bolinhos de bacalhau com Feijão Frade

Lulas com Alho

Bolinhas de Alheira

Cogumelos Frescos Salteados

Prato Principal:

Filetes de polvo com arroz de polvo e Filetes de bacalhau com arroz de bacalhau

Sobremesas:

Salada de Frutas ou Aletria ou Rabanadas

Bebidas:

Vinhos branco e tinto da casa, águas e refrigerantes

 

Visita ao Alto Douro no Dia 19 de Outubro

Saída do Porto às 9:00h (local a indicar)

Visita ao Alto Douro: Mosteiro de S. João de Tarouca, Ponte de Ucanha Mosteiro de Salzedas, Lamego. Orientada por Luís Sebastian ( Diretor do Museu de Lamego, Direção Regional de Cultura do Norte )

Almoço: Restaurante Stop em Britiande:

Sopa

Pão e Azeitonas

Prato Principal:

Misto de carnes (vitela, lombo, frango), batata assada, arroz de forno

Sobremesa:

Leite-creme, salada de frutas ou doce da casa

Bebidas:

Vinho da casa, água e refrigerantes

Recordamos que as inscrições para estes eventos deverão ser efetuadas no momento da inscrição para o seminário.

 

Alguma questão, por favor contactar: seminariopcee@culturanorte.pt

Porto Património Mundial: Boas Práticas em Reabilitação Urbana

“Porto Património Mundial: boas práticas em reabilitação urbana” será o mote para o próximo seminário organizado pela Comissão Nacional Portuguesa do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios, a decorrer no próximo mês.

A Comissão Nacional Portuguesa do ICOMOS está a organizar um seminário subordinado ao tema “Porto Património Mundial: boas práticas em reabilitação urbana”, o qual decorrerá ao longo do dia 25 de Outubro do ano decorrente, no Cinema Passos Manuel, no Porto.

O seminário pretende proporcionar um debate acerca da reabilitação de que a zona histórica da cidade do Porto, Património Mundial, tem sido alvo nos últimos anos. Constituirá também um espaço de apresentação de algumas ideias e projetos de pequena escala, que respeitam as normas internacionais da teoria da conservação, restauro e reabilitação das cidades históricas e a integridade das suas características individuais.

Os interessados em participar devem preencher a ficha de inscrição, disponível no site da Comissão Nacional Portuguesa (http://www.icomos.pt/).

LEM – The Learning Museum Network Project

Criar uma rede permanente de museus e organizações ligadas ao património cultural, que garanta que estes desempenham um papel ativo na aprendizagem ao longo da vida das comunidades é a grande missão do LEM – The Learning Museum Network Project.

É inquestionável o papel que os museus podem desempenhar na formação ao longo da vida da sociedade, ao integrarem coleções, espaços e programas de aprendizagem. Mas, em pleno século XXI, e para acompanhar as mudanças e os desafios das sociedades contemporâneas, considerar os museus apenas como “lugares” já não será suficiente. Nesta perspectiva,  o LEM propõe um novo paradigma que ambiciona uma aproximação entre agentes formais e informais, como forma de facilitar o acesso à vida cultural e promover a coesão social, a inovação e a criatividade.

O LEM pretende converter os museus em organizações de ensino, fruto do envolvimento e cooperação entre as instituições culturais, o público e a comunidade e outros organismos relevantes, também estes detentores de conhecimento. Ao estabelecer uma  rede de cooperação permanente via web, o projeto oferece a oportunidade de aprender sobre os museus, bem como fomentar a troca de ideias, informações e materiais entre os colegas do contexto europeu.

Para além do desenvolvimento profissional do sector, o projeto procura manter um papel ativo no que diz respeito à aprendizagem ao longo da vida das sociedades, assim como responder aos desafios propostos pela estratégia “Europa 2020”. A missão do LEM é desenvolvida através da criação de grupos de trabalho com foco em questões específicas, conferências e reuniões internacionais, a publicação e divulgação de relatórios temáticos e a gestão de um sistema de mobilidade para responsáveis por programas de educação dos museus dos países parceiros, como forma de apoiar a aprendizagem mútua e o intercâmbio de conhecimentos.

A atividade desenvolvida pelas equipas de trabalho deve ir de encontro às cinco áreas temáticas definidas pelo projeto:

– Novas tendências nos museus do século XXI

– Os museus e o envelhecimento da população

– Estudos de audiências, estilos de aprendizagem e gestão da relação com os visitantes

– Recursos e Espaços de Aprendizagem nos museus

– Diálogo intercultural

O financiamento do LEM é proveniente do programa europeu Grundtvig – Programa de Aprendizagem ao Longo da Vida (2010-2013),  o qual proporciona oportunidades de desenvolvimento pessoal e de melhoria de conhecimentos e habilidades na idade adulta, tendo em vista ampliar as perspectivas de emprego dos participantes.

O LEM conta já com cerca de 25 instituições parceiras, de 17 países na Europa e  nos Estados Unidos da América e espera continuar a crescer para construir um museu global, capaz de reunir uma parcela significativa do património, das comunidades e do sector da educação para adultos a nível europeu.

Mais informação em: http://www.lemproject.eu

” Measuring Museum Impacts’” – Estudo coordenado pelo Professor Alessandro

Captura de ecrã 2013-09-20, às 22.37.53

” Measuring museum impacts’” é um estudo coordenado pelo Professor Alessandro Bollo, inserido no projeto LEM – The Learning Museum project.

Este projeto engloba uma série de grupos de trabalhos focalizados na análise e estudo das questões de relevo relacionadas com o mundo dos museus.

É uma das três publicações produzidas pelo Grupo de Trabalho ‘Audience research, learning styles and visitor relation management’.

Ao longo dos três anos de execução do projeto, este grupo de trabalho concentrou-se em várias questões, com um foco especial sobre os visitantes do museu e desenvolvimento dos públicos, nomeadamente: estudo dos públicos e as suas metodologias , o uso das tecnologias multimédia e sua influência sobre o público, o papel das TIC na construção e fortalecimento de uma relação duradoura com a audiência , o uso de pesquisa de públicos para desenvolver exposições orientadas para a aprendizagem , a consideração de diferentes características do público para o desenvolvimento uma abordagem verdadeiramente orientada para o visitante do museu, entre outros.

A partir de certa altura, este grupo sentiu que era necessário criar ferramentas para medir o sucesso ou o fracasso de todas as iniciativas levadas a cabo para a construção de audiências e melhoria da qualidade da visita ao museu.

A questão sobre como valorizar as instituições e atividades culturais tem sido central no debate cultural desde há algum tempo . Enquanto na década de 1980 , o ênfase incidiu  no impacto económico das artes (eg Myerscough 1988) e , mais tarde, no seu impacto social (eg Matarasso 1997) , atualmente registamos uma tendência para abordar o valor da cultura de uma perspectiva mais complexa e holística.

Muitos autores concordam que o valor económico pode não captar plenamente o valor cultural , pois existem outras caraterísticas culturais de valor, particularmente relacionadas com o aspecto social , que não podem ser reduzidas numa fórmula monetária.

Como especialista nesta na área , Alessandro Bollo contribuiu para as atividades do trabalho de pesquisa, produzindo uma síntese das principais questões sobre os diferentes tipos de avaliação de impacto no sector dos museus : económico, educacional, social, relacional , ambiental, criando para cada área indicadores relevantes.

 

 

Poderá consultar o estudo em http://www.fizz.it/home/autori/alessandro-bollo

 

Jornadas Europeias do Património 2013 – Património/LUGARES

As Jornadas Europeias do Património são uma iniciativa anual do Conselho da Europa e da União Europeia, envolvendo cerca de 50 países, tendo como objectivo a sensibilização dos cidadãos para a importância da protecção do Património. Em cada país é promovido, anualmente, um programa de actividades a nível nacional, de acesso gratuito na sua grande maioria.

A Direção-Geral do Património Cultural, entidade responsável pela coordenação do evento a nível nacional propõe, para as Jornadas Europeias do Património de 2013, o tema Património / LUGARES, com o qual pretende chamar a atenção para a dimensão humana de que o património se reveste, expressa materialmente em espaços e paisagens – urbanos e não urbanos – que nos marcam, que exploramos e com que convivemos numa relação de proximidade.

Os lugares estruturam o desenvolvimento pessoal e social, sustentam identidades, exprimem a dimensão cultural da sociedade, interessando conhecê-los para além do aparente, para os podermos estimar e proteger; a importância dos lugares é a importância da nossa identificação e o nosso sentimento de pertença a algum sítio, tornando-se fundamental sensibilizar os cidadãos para a sua protecção através de acções que estimulem a aproximação física e emocional ao património.

Consulte aqui o PROGRAMA GERAL

A iniciativa também pode ser seguida através da página do Facebook: https://www.facebook.com/Jornadas.Europeias.do.Patrimonio.2013

Professor Xavier Greffe vai estar presente no Seminário Internacional

Xavier Greffe

Xavier Greffe é professor de Economia na Universidade de Paris , onde preside ao Programa de Pós-graduação em Economia das Artes, é também professor associado no National Graduate Institute for Public Policies de Tóquio, e Professor Adjunto no Auckland Institute of Technology (Nova Zelândia).

É presidente do Comitê Nacional para o Emprego Artístico em França.

Tem publicado diversos artigos e livros nas áreas da economia das artes e mídia, sendo os mais recentes: Economie Globale (Dalloz, 2009), La politique culturelle en France (2009, La documentation française), Culture Web (2008, Dalloz), Artistes et  marchés (La documentation française, 2007) French Cultural Policy (Bookdom, Tokyo, 2007), Arts and artists from an economic perspective (UNESCO, Paris, 2004) and Managing our Cultural Heritage (Aryan Books, New Dehli, 2002).

Foi professor em várias universidades francesas e estrangeiras, e diretor-geral para a Formação e Aprendizagem no Ministério do Trabalho, em Paris (1990-1994).

As suas áreas de pesquisa estão relacionadas com a economia do património cultural e a relação entre cultura e desenvolvimento.

 

Casa das Artes do Porto reabre a 17 de Outubro com Seminário Internacional

Programação cinematográfica deverá ficar a cargo do Cineclube do Porto, mas o contrato com a Direcção Regional de Cultura do Norte, que gere a Casa das Artes, ainda não está fechado

A Casa das Artes, no Porto, deverá voltar a abrir as portas, depois de nove anos sem qualquer uso, no dia 17 de Outubro. Sem pompa nem circunstância (não há festa marcada para assinalar a reabertura do edifício que deu ao arquitecto Souto de Moura o primeiro prémio da sua carreira, um Secil), o público que irá estrear o espaço renovado será aquele que for assistir ao seminário internacional Património Cultural: Economia e Emprego, organizado pela Direcção Regional de Cultura do Norte (DRCN), que gere agora o edifício. O cinema há-de vir a seguir.

As obras ainda decorrem e o espaço está cheio de pó. São pouco mais do que trabalhos de “manutenção e conservação”, explica o arquitecto Audemaro Rocha, da DRCN, que vai fazendo a ponte entre as pinturas, arranjos e limpezas e o arquitecto Souto de Moura.

O trabalho mais significativo, mas invisível para quem vai à Casa das Artes, foi a substituição dos tectos, que caíram, parcialmente, em Dezembro de 2004. O edifício fechou definitivamente pouco depois. “Os dois tectos [dos auditórios] são completamente novos. O pavimento também está a ser reparado e é preciso fazer arranjos exigidos pelos quase dez anos sem limpeza nem manutenção”, explica Audemaro Rocha.

A copa que existia no átrio entre os dois auditórios foi desmontada e a porta de correr que separava o espaço amplo da entrada do auditório, que deverá voltar a receber sessões de cinema, também será substituída, por razões “de segurança e de isolamento sonoro”, explica o arquitecto. A nova porta foi desenhada por Souto de Moura, mas no final da semana passada ainda não tinha sido colocada.

Depois de quase uma década de espera – e em que chegou a ser dado como certo que a Casa das Artes receberia um pólo da Cinemateca -, o edifício passou para a tutela da DRCN. Paula Silva, que dirige este organismo, diz agora que quer encher a casa com “as artes todas”. “A Casa das Artes tem uma sala vocacionada para cinema, mas não foi pensada para receber só cinema. O edifício foi construído para ser multidisciplinar e a qualidade do projecto perdia-se se ele fosse usado apenas para cinema”, afirma, justificando assim por que não concordava com a instalação de um pólo de Cinemateca no local.

Neste momento, o que está previsto é que a Casa das Artes receba sessões de cinema três vezes por semana, com uma programação coordenada pelo Cineclube do Porto. Às quartas-feiras à noite, as sessões serão dedicadas ao cinema português, com direito a debates com a presença, “sempre que possível”, do realizador ou de outros convidados. À quinta-feira a noite, o ecrã irá encher-se com “filmes de referência” e ao sábado à tarde as sessões voltam-se para as famílias.

Esta é, pelo menos, a vontade da DRCN, que só espera pelo fecho do contrato com o cineclube para que os filmes voltem à Casa das Artes. Novembro pode ser o mês de arranque, mas Paula Silva não arrisca datas. Certo é que dos quase 300 mil euros de investimento feito no local, perto de 50 mil foram usados na compra de um projector de cinema digital, porque o equipamento existente estava obsoleto.

Equipada com dois auditórios, com capacidade para 200 pessoas cada, e com espaços amplos no piso térreo e no piso inferior, a Casa das Artes pode ainda receber debates, conferências, exposições, pequenos concertos ou colóquios. Parte da programação vai ser garantida pela própria DRCN, mas Paula Silva tem a expectativa de que a Casa das Artes cative a atenção de outras instituições da cidade, que queiram arrendar a sala. Além de reinaugurar, rentabilizar também é por aqui uma palavra na ordem do dia.

Fonte:  Jornal Público – 09/09/2013

Inscrições Abertas para o Seminário Internacional

Já se encontram abertas as inscrições para o Seminário Internacional sobre Património Cultural, Economia e Emprego

O Seminário Internacional “Património Cultural, Economia e Emprego” é constituído por duas componentes nas quais se pode inscrever.

As inscrições são gratuitas mas obrigatórias. Os lugares são limitados à capacidade das salas.

Os Workshops no dia 14 , 15 ou 16 ( Só em português )

O Seminário nos dias 17 e 18 e a Visita no dia 19 ( português)

The International Seminar Cultural Heritage, Ecomomy and Employement, has two activities. Limited number of places according the dimension of the rooms.

The workshops on the 14th, 15th and 16th ( only in portuguese )

The Seminar on the 17th and 18th and the tour on the 19th (english )

 

John Kay :A good economist knows the true value of the art

11 August 2010, Financial Times

Activities that are good in themselves are good for the economy, and activities that are bad in themselves are bad for the economy. The only intelligible meaning of “benefit to the economy” is the contribution – direct or indirect – the activity makes to the welfare of ordinary citizens.

Many people underestimate the contribution disease makes to the economy. In Britain, more than a million people are employed to diagnose and treat disease and care for the ill. Thousands of people build hospitals and surgeries, and many small and medium-size enterprises manufacture hospital supplies. Illness contributes about 10 per cent of the UK’s economy: the government does not do enough to promote disease.

Such reasoning is identical to that of studies sitting on my desk that purport to measure the economic contribution of sport, tourism and the arts. These studies point to the number of jobs created, and the ancillary activities needed to make the activities possible. They add up the incomes that result. Reporting the total with pride, the sponsors hope to persuade us not just that sport, tourism and the arts make life better, but that they contribute to something called “the economy”. (…)

 

full article: http://www.johnkay.com/2010/08/11/a-good-economist-knows-the-true-value-of-the-arts#.UXopfHYmmhw.twitter

737 inscritos uma semana após terem sido abertas as inscrições

Os workshops decorrerão no mesmo local embora tenham transitado do Palacete Vilar d’Allen para um dos auditórios da Casa das Artes ( edifícos contiguos que se localizam na Rua António Cardoso, no Porto).

No sábado passado já foram enviados os primeiros emails de confirmação de inscrições e no final da semana esta informação será enviada às inscrições entretanto recebidas.

Se tiver alguma impossibilidade de participar por favor avise-nos para podermos ceder o seu lugar a alguém que possa vir a estar em lista de espera. pela evolução das inscrições prevemos que tal venha a ocorrer para alguns workshops.

O programa do Seminário nos dias 17, 18 e 19 será divulgado dentro de breves dias assim como serão abertas as respectivas inscrições que serão gratuitas mas limitadas ao nº de lugares da Casa das Artes

 

Mário Brito

 

 

Seminário integra actividades da EVOCH

A Plataforma EVoCH (Economic Value of Cultural Heritage), uma rede europeia para o estudo e divulgação do valor económico do património cultural na Europa, integra nas suas actividades o Seminário Património Cultural, Economia e Emprego, que decorrerá no Porto a 17 e 18 de Outubro por iniciativa da DRCN.
EVoCH

A EVoCH pretende estabelecer uma rede europeia que inclua diversos stakeholders relevantes do sector do património, públicos ou privados, para agregar experiências, melhores práticas e informações relevantes para encorajar o diálogo entre as diferentes estruturas envolvidas e criar sinergias na Europa. A plataforma pretende ser o pólo dinamizador de acções de investigação, de comparação e partilha de dados que permitam conhecer a incidência de políticas em redor do património cultural e a sua relação com a actividade económica, com o intuito de criação de emprego e coesão social. A divulgação e o aumento da notoriedade sobre o valor económico do património cultural, bem como das atividades para o seu conhecimento, conservação, difusão e gestão, são outros dos propósitos da EVoCH.

A EVoCH, dinamizada pela Junta de Castela e Leão, é constituída pelo seguinte grupo de fundadores:

evoch_foto_assinatura

  • La Comunidad de Madrid
  • La Asociación Europea de Empresas de Restauración del Patrimonio, AEERPA,
  • Tecnalia Research & Innovation
  • La Fundación CARTIF .
  • La Fundación Santa María la Real
  • La Fundación Caja Madrid,
  • La  Direcção Regional de Cultura do Norte /Secretaría de Estado de Cultura de Portugal.

e pelos  seguintes associados:

  • English Heritage (UK)
  • Fundación Ars Civilis (España)
  • ARESPA (España)
  • Universidad de Pavía (Italia)
  • Universidad de Módena (Italia)
  • Grupo Documento (Brasil)
  • Monumentenwacht (Holanda)
  • Universidad de Ferrara (Italia)
  • Facultad de Ciencias Económicas. Valladolid (España)
  • Laboratorio Fotogrametría. Universidad Valladolid (España)
  • Asociación Española de gestores de Patrimonio Cultural (España).
  • Instituto Andaluz de Patrimonio Histórico (España)
  • Instituto Superior Técnico, Dpto. de Ingeniería Civil, Arquitectura y Georecursos. Lisboa (Portugal)
  • Fundación Instituto Castellano y Leonés de la Lengua (España)
  • Universidad Pontificia de Comillas (España).
  • Laboratorio para la investigación e intervención en el paisaje arquitectónico, patrimonial y cultural Universidad de Valladolid (España)
  • Instituto Valenciano de Conservación y Restauración de Bienes Culturales (España).
  • ACRE- Asociación de conservadores restauradores de España (España).
  • Instituto de investigación histórica y arqueológica de Río de Janeiro (Brasil)
  • Incosa (España)
  • Alacet Arqueólogos (España)
  • Máster Universitario en Economía de la Cultura y Gestión Cultural. Facultad de Comercio. Universidad de Valladolid. (España)
  • Departamento de Economía Aplicada. Universidad Complutense de Madrid. (España).
  • Patronato de la Alhambra y Generalife. Granada. (España).

Mais informação em : www.jcyl.es/evoch

Património Cultural, Economia e Emprego: 17,18 e 19 de Outubro de 2013

A Direcção Regional da Cultura do Norte  vai realizar,  nos próximos dias 17, 18 e 19 de Outubro o primeiro seminário internacional sobre Património Cultural, Economia, Emprego. É uma iniciativa que se enquadra numa estratégia que tem vindo a ser a desenvolvida ao longo dos últimos anos e que se fundamenta em alguns vectores essenciais:

1.      O relevo do Património Cultural nas suas multifacetadas vertentes, na região e  no país, enquanto valor da maior importância na atividade económica e na geração de emprego, nomeadamente através do turismo.

2.      A importância dos equipamentos culturais existentes,  da gestão cultural e da economia da cultura bem como das Indústrias Criativas, como o comprovam várias iniciativas e estudos recentemente produzidos e que constituem uma acção pioneira no país.

3.     A consciência da necessidade de se implementarem nos equipamentos culturais ( museus, monumentos, sítos arqueológicos, etc ) modelos de gestão mais adequados a realidade, que resultem no desenvolvimento de novos produtos e serviços bem como práticas mais ativas na procura de receitas alternativas.

4.      O envolvimento da DRCN, nos últimos anos, em projectos ligados ao empreendedorismo e ao emprego cultural bem como a participação em plataformas internacionais ao nível dos territórios criativos e da valorização económica do património cultural

Pretende-se, com esta iniciativa, abordar a temática da gestão cultural e do seu impacto na geração de atividade económica e emprego, no atual contexto económico, em que julgamos essencial: a criação de redes e outras plataformas de cooperação, a racionalização de recursos humanos, técnicos e financeiros, o recurso a técnicas de marketing e comunicação adequadas, a formação dos Recursos Humanos e a necessidade de gerar fontes de financiamento alternativas.

Informações detalhadas serão brevemente disponibilizadas nos canais da DRCN ( www.culturanorte.pt/seminario www.facebook.com/culturanorte  ). Pode, neste site, registar-se e passar a receber toda a informação sobre o programa, os workshops e as condições de participação.